Afasia

A Afasia é a temática que nos vamos debruçar hoje.

Define-se como uma patologia adquirida, decorre de uma lesão no cérebro no hemisfério esquerdo, após:

Cerebro logo

  • AVC – Acidente Vascular Cerebral;
  • Traumatismos;
  • Tumores;
  • Aneurismas;
  • Doenças degenerativas;
  • Doenças metabólicas;

Originando lesões circunscritas na sua maioria permanentes e irreversíveis no cérebro e sequelas (1).

 

A Afasia é mais recorrente em idosos do que em jovens e crianças, contudo nos últimos anos tem-se vindo a constatar  que a incidência em jovens e crianças tem vindo a aumentar. Sendo que quando acontece em faixas etárias mais novas, o impacto e as sequelas são mais devastadoras do que em idosos (2).

Terapia da FalaSendo a área afectada maioritariamente o hemisfério esquerdo – área responsável pela linguagem, é comum apresentarem desorganização na linguagem, confusão mental, dificuldade na codificação e descodificação das mensagens, no acesso ao vocabulário e na organização sintáctica (1).

Dependendo do tipo de afasia que a pessoa apresente, podemos encontrar alterações na fluências, compreensão, repetição, nomeação, leitura e escrita, parafasias, agramatismos ou apraxias. Podendo classifica-las em duas categorias Fluente ou Não Fluente.

 

Nas crianças a denominação dada é desenvolvimental – quando ocorre antes dos dois anos – e adquirida – após os dois anos de idade.

 

Fluente

Afetam a compreenção e áreas associativas

Não Fluente

Afectam a área motora

Afasia na Infância
Wernicke Global Desenvolvimental
Condução Mista
Transcortical Sensorial Broca Adquirida
Transcortical Motora

 

Boas Leituras!

 

 

Referências Bibliográficas
Uchôa Souza, Cruz Payão (2008) – Apraxia da fala adquirida e desenvolvimental: semelhanças e diferenças
(1)Fontanesi e Schmidt, 2016
(2) – Favoretto, Carleto, Cunha, Panes, Fernandes, Lamônica e Caldana, 2017