M.I. Puzzle Madeira

Hoje vamos escrever sobre a utilidade dos puzzles, na intervenção de psicologia e terapia da fala. 

É importante quando fazemos intervenção, escolhermos material que possa estar isento de algumas modas, ajudando as crianças aderirem mais facilmente a intervenção e deslocando-se para a rotina diária.

Nome Puzzle de Madeira
Marca Marca Branca
Local de compra DeBorla
Custo aproximado 5€ a 6€

Material contêm:

  • 1 caixa com 4 possibilidades de puzzle;
  • Cada puzzle tem 20 peças;

Puzzles Histórias Urso

 

Orientações para jogar

A criança ou o adulto necessitará de construir a imagem apresentada na caixa do puzzle ou num panfleto ilustrativo das possibilidades de imagens, juntando as várias peças de forma a ficarem encaixadas e uniformes.

Objectivo do jogo permite trabalhar:

  • o foco e a concentração;
  • a orientação espacial:
  • a capacidade de encaixe e pormenor-motricidade fina;
  • a memória;
  • a atenção e foco;

 

Intervenção com logo

 

Diferentes Aplicações 

 

Intervenção Terapia da Fala

No caso da terapia da fala, permite uma intervenção direccionada em várias vertentes que permitem trabalhar as seguintes áreas:

  • Identificação e nomeação dos objectos que estão em cada um dos puzzles;
  • Descrição  da imagem montada,
  • Vocabulário;
  • Construções frásicas – frases simples;
  • Linguagem;
  • Noções de tempo;
  • Categorias;
  • Características;
  • Construções de histórias;
  • Identificação e nomeação de sons fonológicos.

 

É um material para ser usado ao longo de várias sessões, intervalando com outros materiais de intervenção.

 

Intervenção Psicologia

É um jogo que pode estar em gabinete para reutilização regular como estar na mala do técnico, como hipótese tanto de quebra gelo como em trabalho cognitivo ou projectivo.

Este tipo de puzzle de madeira com rotinas diárias, ajudam mais facilmente à criança projectar-se no material, partilhando as suas preocupações como dificuldades nas rotinas do dia-a-dia.

É possível trabalhar nestes puzzles:

  • Rotinas diárias;
  • Autonomia nas tarefas atribuídas pelos pais;
  • Noções de tempo para brincar e estudar;
  • Logística de um passeio – organização de passeios com a família;
  • Planeamento do seu horário;
  • Alimentação – o mais adequado à sua família;
  • Hábitos de higiene;

Em crianças mais pequenas, é excelente para trabalhar as noções do que acontece diariamente na vida familiar, e ajuda-la a organizar em conjunto com os pais a sua rotina. Já em crianças com diagnóstico de perturbações do neurodesenvolvimento, torna-se uma excelente ferramenta para iniciar um tema.

É também possível ser usado para ser o ponto de partida para se construir uma banda desenhada, onde o ursinho é a personagem principal, interligando com várias competências como criatividade da criança.

 

Boas montagens e reflexões!

 

*Nota: em campanhas anuais ou ruptura de stoks