T.I. Exercício de Relaxamento

Hoje vamos abordar um exercício de relaxamento que poderá ser útil na intervenção com crianças e, até mesmo com adolescentes!

Intervenção em Psicologia

Em intervenção com crianças e adolescentes, uma sessão pode ser mais intensa do ponto de vista da sua carga emocional e conteúdos e, neste sentido, surge a necessidade de ensinar a criança/adolescente a apaziguar, promovendo uma acalmia.

Contextualizando de acordo com a investigação e a prática do psicólogo, destacam-se correntes humanistas, as quais aliam a prática da meditação como atividade paralela e/ou prolongamento  de uma abordagem terapêutica (Leal, 2005). Tendo por base que a meditação é considerada uma técnica de “repouso do funcionamento mental”, semelhante à relaxação.

Também a técnica do mindfullness tem vindo a ser investigada e muito utilizada, tendo como intuito principal, a promoção da atenção plena ao momento que ao indivíduo está a viver.

Ora, hoje vamos focalizar a atenção para um exercício de mindfullness para um final de sessão.

O exercício apresenta os seguintes objetivos:

  1. Visualização;
  2. Estimulação dos 5 sentidos;
  3. Relaxamento.

Consiste na utilização dos seguintes materiais:

  • Música – som da natureza (mar; pássaros; vento);
  • Conchas ou pedras de texturas diferentes.

Exemplo de orientação:

  • Em final de sessão, será aconselhável o adulto e a criança poderem sentar-se no chão, lado a lado, ou frente a frente, consoante a criança (timidez, dificuldade em relaxar);
  • No caso de adolescentes poderão seguir a mesma linha ou ficarem simplesmente sentados nas cadeiras;
  • Se numa fase intermédia da terapia, em que a confiança esteja estabelecida, aconselhável fecharem os olhos, para facilitar o processo de visualização e relaxamento;
  • Colocar o som da natureza, imaginemos que seria o som da rebentação das ondas, na praia;
  • Numa fase inicial, ensinar a criança a respirar (através do diafragma), devagar, algumas vezes seguidas;
  • Ir falando, calmamente e de tom baixo, acerca do que está a ouvir, quais os sons;
  • Em que lugar imagina que está, como vê/imagina esse lugar;
  • Como se sente no mesmo;
  • Mexer nas conchas/pedras – sentir as diferentes texturas;
  • O que a faz sentir;
  • Respiração diafragmática;
  • Como se sente agora;
  • Quando se sentir preparada/confortável, abrir os olhos lentamente;
  • Dialogarem sobre o que sentiram ao longo do exercício;
  • Não levantar repentinamente, dar tempo para se habituarem à luz natural e ao momento presente.

Boas Intervenções!

Referências Bibliográficas
(Leal, 2005).