T.I. Como adaptar o jogo simbólico à cultura digital?

Hoje falamos dos programas de informática nas aprendizagens actuais.

A entrada na era da informática de forma massiva, com acesso por parte de todos, deu-se no inicio do Séc. XXI. O surgimento do computador pessoal que pode ser levado para qualquer parte, promoveu o desenvolvimento da necessidade de ser criado mais tarde o tablet que potencia o acesso por um pequeno dispositivo a todo um mundo e com uma serie de programas e app’s.

E surge a questão: Como adaptar o jogo simbólico à cultura digital?

O Psicólogo Vasily Davydov, nos seus estudos socioculturais, identificou que não é possível separar o jogo infantil do contexto cultural em que vivem. Sendo necessário adaptar o jogo à realidade onde se inserem, de forma que possa ser um desenvolvimento ajustado às respostas que a comunidade apresenta, tornado-o congruente e consistente.

Nesse sentido, surgiram vários jogos e programas informáticos, interagindo somente com o toque, contudo com os vários estudos da importância da integração dos vários elementos, começaram a surgir várias respostas distintas.

Desta forma, existem algumas empresas apresentam respostas ao jogo simbólico.MI

Na sua pesquisa realizada para a construção destes programas, foram percebendo a elevada importância da adaptação da realidade e respectivas rotinas à formas  que as crianças gostariam de manipular e imitar, de forma a compreenderem o meio circundante.

No desenvolvimento do produto, identificaram que os aplicativos que apresentavam situações de simulação como role play, eram os preferidos, contudo houve a necessidade de complementar com outros estímulos.

Pouco depois, criaram objectos reais que pudessem interagir com os tablet’s promovendo o desenvolvimento cognitivo, e respeitando a ligação do cérebro às mãos,  como a relação pais-filhos, essencial a aprendizagem, nos primeiros anos de vida.

Na rubrica M.I. iremos falar de alguns exemplos!
Boas leituras