T.I. – Quais os sinais de alerta num abuso sexual?

Hoje, tendo em conta o material de prevenção já explicado na rubrica M.I. – Picos e Avelã, será importante reflectir acerca dos sinais de alerta a que devemos estar atentos para que haja uma prevenção efectuada atempadamente com as nossas crianças!

No material Picos e Avelã, é apresentado um guia para o adulto, que facilita a compreensão com mais ênfase nesta temática.

São apresentadas um conjunto de perguntas e respostas, das quais iremos abordar as cinco mais pertinentes, as outras convidamos que explorem o material e verifiquem as respostas das seguintes perguntas:

  • Porque é importante investir da prevenção primária do abuso sexual com crianças pequenas?
  • O que é o abuso sexual?
  • Quem são as vítimas de abuso sexual?
  • Quais os sinais ou sintomas de alerta?
  • Quais os efeitos do abuso sexual?
  • Quem são os abusadores sexuais e que estratégias usam para abordar as crianças?
  • Porque é que as crianças não contam?
  • O que fazer perante uma suspeita de abuso sexual?
  • O que fazer perante uma revelação de abuso sexual?
  • A quem pedir ajuda?

 

Numa primeira fase, em que é que consiste o abuso sexual?

Qualquer tipo de interacção de cariz sexual entre a criança e um adulto (ou outra criança/jovem), para a qual a criança não está capacitada a prestar um consentimento informado, tais como:

mãe e filho

  • Toques
  • Carícias
  • Contacto sexual oral
  • Penetração vaginal ou anal
  • Situações sem contacto físico (voyerismo, exibicionismo, assédio, exposição a pornografia).

 

A que tipo de sinais podemos estar atentos?

É de referir que não existem sinais exclusivos indicadores do abuso sexual, sendo fulcral ter em consideração os motivos e o contexto no qual a criança apresenta tais sintomas.

Ainda assim, poderá surgir alguma sintomatologia associada:

  • Físicos (queixas somáticas; DST’s; dificuldade em sentar-se, andar ou ir à casa de banho; enurese/encoprese)
  • Emocionais (dificuldades de atenção/concentração, socialização; baixa-autoestima; medo de alguns adultos/situações)
  • Comportamentais (comportamento agressivo ou retraído; alterações nos padrões alimentares/sono; comportamentos sexuais desajustados para a idade).

peluche

 

 

O que fazer perante uma revelação de abuso sexual?

  1. Escuta ativa: O adulto estar disponível para escutar e mostrar compreensão do sentir da criança face ao abuso relatado:
  2. Proteção e credibilização da criança: Principalmente dos adultos cuidadores (pais, educadores).

 

A quem pedir ajuda face a uma suspeita ou revelação?

  1. Polícia Judiciária (PJ)
  2. Polícia de Segurança Pública (PSP)
  3. Guarda Nacional Republicana (GNR)
  4. Urgência Pediátrica do Hospital (até aos 18 anos)
  5. Ministério Público
  6. Linha SOS Criança – 116 111
  7. APAV

 

Boas intervenções!